Alma do Ferreirinha - Zilo e Zalo | Letra da Música

Alma do Ferreirinha - Zilo e Zalo

Letras de A - Z, de diversos estilos musicais

Alma do Ferreirinha - Zilo e Zalo - Letra






Eu parei na invernada da fazenda Água Fria
Pra descansar a boiada até o raiar do dia
Os peões da comitiva que nesta tarde folgava
Foram todos pra cidade comprar o que precisava
Eu deitei na minha rede procurando descansar
Mais nesta hora pensei que o mundo ia desabar

Uma briga de cachorro assustou a zebuzada
Eu fiquei desnorteado vendo o estouro da boiada
Mais naquilo eu avistei um campeiro na invernada
Estalando seu chicote e gritando com a boiada
Ele reuniu o meu gado sem perder uma só rês
Serviço de seis peões ele sozinho me fez

Puxei daminha carteira pra pagar o bom campeiro
Mais por nada deste mundo ele quis o meu dinheiro
Sorrindo muito contente me disse o bom cavaleiro
Não me esqueci que você foi meu melhor companheiro
Suas costas meu amigo ainda deve estar gelada
Do dia em que me levou pra derradeiramorada

Dizendo essas palavras o misterioso peão
Riscou o potro na espora e partiu acenando a mão
Por incrível que pareça eu não perdi minha calma
Lá mesmo acendi uma vela e rezei pra sua alma
Aquela noite eu dormi feliz a noite inteirinha
Sonhando com as proezas do saudoso Ferreirinha

Alma do Ferreirinha - Zilo e Zalo | Letra da Música. Compartilhe!